expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 7 de maio de 2013


«Quem ME ama guardará a minha palavra
[…] Deixo-vos a minha paz, dou-vos a minha paz»
[João 14,23-29]


           Depois de um inverno rigoroso, voltaram a cair umas pingas de água, até agora, bem poucas.
            E como sempre o ditado a realizar-se “o sol na eira e água no nabal” não é possível!... Na verdade, para as terras que ficaram empapadas com a água invernal e depois foram banhadas pelo calor primaveril e pelo vento que as secou, a água está mesmo a ser necessária para se poder trabalhar as terras e prepará-las para as sementeiras… mas para quem vai em peregrinação para Fátima, talvez seja ocasião de algum incómodo, ou talvez não, porque umas pingas de água também ajudan a refrescar o ambiente que com o calor torna mais difícil a caminhada…
            Entretanto, os campos continuam floridos e as plantas a crescer, como facilmente se pode observar nos novos e longos rebentos destes pinheiros
Com chuva ou sem ela, um dia feliz vivido na paz que Jesus nos deixa e nos dá.



Sem comentários:

Enviar um comentário