domingo, 5 de maio de 2013

«Quem ME ama guardará a minha palavra
[…] Deixo-vos a minha paz, dou-vos a minha paz»
[João 14,23-29]


           

            Dia da Mãe
            Como qualquer mãe fica feliz quando o filho ouve a sua palavra!...
            E o que a verdadeira mãe deseja para o filho é a paz na sua consciência e a paz no ambiente em que vive.
            Mas quem pronunciou as palavras referidas pelo Evangelista João foi Jesus. Por isso, é oportuno recordar aqui as memoráveis palavras do Papa João Paulo I, na Audiência Geral da quarta-feira, 13 de Setembro de 1978: «Minha mãe dizia-me, quando era já grandinho: Em pequeno foste muito doente; tive de te levar de médico em médico, e velar-te noites inteiras; acreditas? Como poderia eu dizer: — Mãezinha, não te acredito? Sim, acredito-te, acredito no que me dizes, mas acredito especialmente em ti. Assim é na fé. Não se trata unicamente de crer nas coisas que Deus revelou mas n'Ele, que merece a nossa fé, que tanto nos amou e tanto fez por amor de nós.
Difícil é também aceitar algumas verdades, porque as verdades da fé são de duas espécies: algumas agradáveis, outras desagradáveis ao nosso espírito. Por exemplo, é agradável ouvir dizer que Deus tem por nós tanta ternura, maior ainda que a duma mãe pelos seus filhos, como afirma Isaías. Como é agradável e nos parece natural! Houve um grande Bispo francês, Dupanloup, que aos reitores dos seminários costumava dizer: Com os futuros sacerdotes, sede pais, sede mães. É agradável
A nossa folhinha deste domingo evidencia estas palavras de Jesus e aponta-as como programa de vida para esta semana e transcreve um poema com o título Mãe, onde se pode ler uma referência a esta relação entre a Mãe e Deus.
Um domingo feliz para toas as mães 
A Folha Interparoquial nº 62 - AQUI - 

Sem comentários:

Enviar um comentário