expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 3 de maio de 2013


«Como Eu vos amei,
amai-vos também uns aos outros»
[João 13, 31-33ª.34-35]




Em algumas comunidades celebra-se ainda neste dia a Festa da Santa Cruz; noutras celebrar-se-á no próximo domingo e noutras ainda esta Festa celebrar-se-á no dia 14 de Setembro com o título Exaltação da Santa Cruz, pois hoje, depois da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II, celebra-se a Festa dos Apóstolos São Filipe e São Tiago.
A tradição da Festa da Santa Cruz neste dia do mês de Maio vem desde o século IV. Segundo a tradição, a Vera Cruz foi descoberta em 326 por Helena de Constantinopla, mãe do Imperador Constantino I, durante peregrinação à cidade de Jerusalém. A Igreja do Santo Sepulcro foi construída no local da descoberta, por ordem de Helena e Constantino. A igreja foi dedicada nove anos após, em 335, com uma parte da cruz em exposição. Em 13 de Setembro ocorreu a dedicação da igreja e a cruz foi posta em exposição no dia 14, para que os fiéis pudessem orar e venerá-la. Em 614 os persas invadiram a cidade e tomaram a cruz, que foi recuperada pelo Imperador Bizantino Heráclio em 628. Após um ano em Constantinopla, a cruz retornou ao Santo Sepulcro”.
Num dia ou nos dois, o importante é acolher na própria vida os benefícios da cruz redentora de Cristo – dolorosa e gloriosa, isto é, de morte e de ressurreição - que os apóstolos anunciaram por toda a terra e que estas lindas flores, no campo agreste e com terreno de pouca profundidade,   testemunham: umas com as “cinco chagas” e as outras com a lindíssima brancura da “ressurreição”, visitadas por um delicado e tranquilo insecto.
Um dia feliz acolhendo a beleza de Deus e vivendo com os irmãos o amor de «uns aos outros» como o fazem as flores no lindo jardim da natureza.

Sem comentários:

Enviar um comentário