terça-feira, 19 de março de 2013


«Quem estiver sem pecado… 
não tornes a pecar»
                             [João 8, 1-11]



    «Olhai: vou realizar uma coisa nova, que já começa a aparecer; não a vedes?» [Isaías 43, 16-21]



      
Foi o que continuou a acontecer esta manhã na Praça de São Pedro… Tudo belo, simples… para destinatários de dentro e de fora da Igreja… Acompanhei pelos meios de comunicação social; e sempre que a imagem televisiva apresentava o lindíssimo azul do céu, com nuvens e vento a agitar as inumeráveis bandeiras e faixas naquela Praça, a oração era espontânea “Obrigado Senhor do céu e da terra por esta manifestação da Tua bondade” ainda em tempos de inverno rigoroso mas já quase às portas da primavera que neste dia proporciona a experiência e a esperança de «uma coisa nova, que já começa a aparecer».
      As suas palavras breves, claras e incisivas… chegaram ao coração:
Queria pedir, por favor, a quantos ocupam cargos de responsabilidade em âmbito económico, político ou social, a todos os homens e mulheres de boa vontade: sejamos «guardiões» da criação, do desígnio de Deus inscrito na natureza, guardiões do outro, do ambiente; não deixemos que sinais de destruição e morte acompanhem o caminho deste nosso mundo!”
“Mas, para «guardar», devemos também cuidar de nós mesmos. Lembremo-nos de que o ódio, a inveja, o orgulho sujam a vida; então guardar quer dizer vigiar sobre os nossos sentimentos, o nosso coração, porque é dele que saem as boas intenções e as más: aquelas que edificam e as que destroem. Não devemos ter medo de bondade, ou mesmo de ternura”.
“Não esqueçamos jamais que o verdadeiro poder é o serviço, e que o próprio Papa, para exercer o poder, deve entrar sempre mais naquele serviço que tem o seu vértice luminoso na Cruz”
 “Nos Evangelhos, São José aparece como um homem forte, corajoso, trabalhador, mas, no seu íntimo, sobressai uma grande ternura, que não é a virtude dos fracos, antes pelo contrário denota fortaleza de ânimo e capacidade de solicitude, de compaixão, de verdadeira abertura ao outro, de amor. Não devemos ter medo da bondade, da ternura!”
“Peço a intercessão da Virgem Maria, de São José, de São Pedro e São Paulo, de São Francisco, para que o Espírito Santo acompanhe o meu ministério, e, a todos vós, digo: rezai por mim! Ámen”
E como quem serve não impõe mas dá exemplo e pede “por favor”
Ao modo franciscano de saudar: “Paz e Bem” Papa Francisco






Sem comentários:

Enviar um comentário