segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

GRECCIO Natal com São Francisco de Assis



Uma referência ao presépio de São Francisco de Assis também pode ajudar a viver o Natal.

 
Mui digno de piedosa
e perene memória foi
o que São Francisco de Assis fez três anos antes da sua
gloriosa morte,
perto de Greccio,
no dia da Natividade de
Nosso Senhor Jesus Cristo.
 

 
 
O presépio preparado em Greccio na noite de Natal
 
A suprema aspiração de Francisco, o seu mais vivo desejo e mais elevado propósito, era observar em tudo e sempre o Santo Evangelho e seguir a doutrina e os passos de Nosso Senhor Jesus Cristo com suma aplicação da mente e fervor do coração.
Mui digno de piedosa e perene memória foi o que ele fez três anos antes da sua gloriosa morte, perto de Greccio, no dia da Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo. (…)

Uns quinze dias antes do Natal, Francisco mandou chamar (o seu amigo João) e disse-lhe:
«Se queres que celebremos em Greccio o próximo Natal do Senhor, vai imediatamente e começa já a prepará-lo como vou dizer.
É meu desejo celebrar a memória do Menino que nasceu em Belém de modo a poder contemplar com os meus próprios olhos o desconforto que então padeceu e o modo como foi reclinado no feno da manjedoura, entre o boi e o jumento.»

Ao ouvir isto, o fiel e bondoso amigo dali partiu apressadamente a fim de preparar no lugar designado tudo o que o Santo acabava de pedir.
E o dia chegou, festivo, jubiloso. Foram convocados irmãos dos vários conventos em redor.
Homens e mulheres da região, coração em festa, prepararam círios e archotes
para iluminarem aquela noite que viu aparecer no céu, rutilante, a Estrela que havia de iluminar todas as noites e todos os tempos.
 
Por fim, chega Francisco. Vê que tudo está a postos e fica radiante. (…)
Greccio seria a nova Belém. A noite resplandecia como o dia, noite de encanto para homens e animais. Vem chegando gente.
Francisco reveste-se com os paramentos diaconais, pois era diácono, e, com voz sonora, canta o santo Evangelho. A sua voz potente e doce, límpida e bem timbrada, convida os presentes às mais altas alegrias.
Terminada a solene vigília, todos voltaram para suas casas cheios de inefável alegria.
 
Texto - São Francisco de Assis – Fontes Franciscanas – Tomás de Celano – Vida Primeira - CAPITULO XXX 


           Continuação de Santo Natal.

Sem comentários:

Enviar um comentário