quinta-feira, 30 de agosto de 2018

«TENS PALAVRAS DE VIDA ETERNA»

[João 6,60-69]


Na semana em que nos propomos viver com a luz das «PALAVRAS DE VIDA ETERNA» chegou-nos esta notícia do grupo de jovens "Protagonistas da Confiança" da Diocese de Portalegre – Castelo Branco que participaram na semana jovem, “confiados” na espiritualidade de Taizé
A foto manifesta a sua alegria e união e o texto que a acompanha clarifica o que viveram e o que deixou “como semente” nas suas vidas a experiência que viveram

Realmente as «Palavras de Vida Eterna» são sempre alimentadoras da “Confiança”

Jovens Protagonistas da Confiança
Num Tempo e numa Sociedade com tanto ruído, Deus desafia-nos entre tanta “confusão” a lugares de silêncio, encontro e diálogo “aberto” com Ele e com os outros.

Foi nesta perspectiva que o Secretariado Diocesano da Pastoral da Juventude e Vocações desafiou os jovens da diocese de Portalegre – Castelo Branco a rumarem à Comunidade dos Irmãos de Taizé em França. Recordando as últimas peregrinações diocesanas à Comunidade de Taizé, esta peregrinação revelava-se diferente porque com um grupo mais restrito e mais maduro, e com uma proposta mais intensa, mais rica e mais profunda, na qual participaram cerca de 30 jovens, acompanhados pelo padre Nuno Silva. Os jovens chegam a Taizé e partem de Taizé, confrontando-se com uma realidade inesperada. E este ano esse confronto aconteceu com maior intensidade, porque participámos na “semana de reflexão”, direccionada para os jovens com idades compreendidas entre 18 e os 35 anos de idade.

Para o Secretariado da Pastoral da Juventude e Vocações, peregrinar a Taizé é a resposta aos apelos de muitos dos nossos jovens, mas também das muitas famílias e de muitos párocos que reconhecem na Comunidade de Taizé a “fonte de água” que São João Paulo II tantas vezes referia, quando falava da Comunidade de Taizé. Sentimos que para os nossos jovens, essa fonte se reveste de diferentes perspectivas para o seu crescimento interior, seja na espectativa espiritual no encontro íntimo com Deus; seja numa perspectiva de crescimento na Fé, na partilha do seu Acreditar com jovens que partilham a mesma sede de Deus; seja numa perspectiva de voluntariado e convívio, dando de si e receber do outro. Acreditamos também que a perspectiva vocacional também é muito presente no interior de cada jovem em Taizé. Os diálogos à noite na Igreja com os sacerdotes, na via da reconciliação, onde muitas vezes os jovens falam com coragem do chamamento que sentem por parte de Deus, e onde a envolvência proporcionada pelo lugar “Comunidade de Taizé” os ajuda a crescer nas respostas, e a receber força e coragem para o assumir da sua vocação.

Os jovens referem que, em cada peregrinação a Taizé, há o reavivar forte da presença de Deus, alicerçado na oração, na reconciliação e no testemunho da comunidade que busca a interioridade e o silêncio, para o diálogo com Deus e com o outro. A Eucaristia, os três tempos de oração com a Comunidade, o confronto com a Palavra de Deus e com a vivência da fé do meu próximo, os ateliês temáticos voltados para o aprofundamento de realidade teológicas, mas também sociais e politicas, a gratuidade no voluntariado, os tempos de silêncio, o recolhimento, e claro o convívio, fazem de Taizé um lugar muito especial.

Passar uns dias em Taizé, para muitos dos nossos jovens, é o ir saciar da sua sede de Deus que é tão próximo e que tantas vezes os escandaliza com a grandeza do Seu Amor. Um lugar onde quase todos os que estão presentes procuram protagonizar uma corrente única e participar intimamente na Vida que Santifica. Acompanhar cada jovem nesta busca do “protagonismo do serviço” é também compreender a sua vontade de partilhar a experiência de Crer e dar-se. Os jovens de hoje identificam-se muito com este “estar e ser Igreja”.

Já o regresso a casa fez-se com uma alegria redobrada. Para muitos é um regresso já com sabor a saudade, tais foram os momentos tão intensos e especiais que viveram nesses dias.

Sempre atentos aos desafios do Papa Francisco, que de modo insistente tem desafiado os jovens a serem protagonistas da esperança, sentimos que partimos de Taizé no crescente desejo de derrubar muros, medos e intolerâncias, que tantas vezes existem dentro de nós, e também em (re)abrir caminhos e vida, para um profundo encontro com Deus no compromisso real na construção de uma humanidade mais viva e fraterna.

Para estes e muitos outros jovens segue-se em Outubro o Encontro Diocesano de Taizé “Tu és fonte de vida”, e no final do ano, o Encontro Europeu de Taizé que se realiza em Madrid.

SDPJV Portalegre – Castelo Branco

Sem comentários:

Enviar um comentário